terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Panelinha Poética V - Jalna Gordiano


Eu não preciso de ti 
              (ou nunca precisei de ninguém)*

 Morrer nunca foi fácil
Tão fácil assim
A covardia tomou conta

Sei que o dia virá
Se não vier,
Existem certas coisas que também não posso mudar

Quando Cristo voltar
Vou olhar como meus chapados olhos de tédio e tristeza e dizer:
Demorô...

A porta ficou aberta,
Te acompanhei até o ônibus
Chega de frescura

Nunca precisei de ninguém
De ti também.
Certos dias sempre demoraram a passar.

A noite volta
O sol reaparece
As rugas nascem
O mundo morre ao redor

Matei todos que me cercavam
Afastei toda espécie de sentimento alheio
Fico aqui
Ruminando meus restos
Neste sepulcro de areia, cimento e madeira.

Nunca precisei de sol nem de mim
De ti ou da TV
Quero o controle remoto somente para
Desligar e dormir.

Tropeço em ruas planas
Bêbada
Brinco de levitar
Converso com muitas pessoas estranhas
Mais até que eu mesma
Desinteressantes ao mundo
Recheadas a mim
Discuto com o cobrador do ônibus
Por causas alheias

Insulto
Deus o dia todo
Chamo traíra
Cuspo pra cima
E de noite rezo pedindo perdão

Corro pelo corredor como meu filho
Dou banho e faço mamadeiras
Ponho a dormir cantando nós dois

Ainda consigo me comover
Mais e mais
Ainda consigo chorar ao assistir comerciais
Soluçante
Ainda amo todos meus ex-amores
Fielmente

Não vá embora por minha loucura
Pelo meu excesso de vidas
Não vá embora por ser perturbado por mim
Por palavras mau ditas

Ainda posso rir de nós todos
Ainda sei cozinhar pra você
Ainda posso te apresentar puteiros imundos e te escolher garotas

Posso deitar no teu colo e ganhar afagos?
Posso
Irritar-te insanamente para fazer-mos amor
toda a madrugada?
Posso te ligar às três da manhã pra te contar dos bêbados que não dormiam
na cidade?



O fim está próximo*

Quantas vezes pensei
em me afundar na terra
E nunca mais voltar por tanta vergonha,

Mas tenho a alma de um pugilista em fim de carreira.
Ele me obriga a cerrar os punhos, fazer cara feia
E gritar o primitivo;
Voltar à luta.

Minha vida decresce em tons ascendentes
Descrentes...

Sou feito à lua e mudo rapidamente em fases;
Sou o deus sol
Aprendi a lentamente mostrar minha divisão em estações.

Quando meu rosto está no chão,
Eles vêm e pisam minha cara;
Escondo o riso.

Quem me julga,
Tem os discursos mais incisivos...

São mais drogados,
Traíras,
Sujos da pior bosta
Que só a infelicidade, vazio
E falta de comoção produzem.

Quem me julga,
Usa as máscaras mais ridículas
E inverossímeis nas almas,
Tristes palhaços de sim mesmos.

Sou eterna e tenho medo do fim.
Sinto muitas dores e medos evidentes,
Bares e igrejas sempre existirão.

O que me permite tanta liberdade
É minha inconstância.
Preciso somente ser
Um pouco mais de paciência:
O fim está próximo.


* do livro ASMA dentre outros prazeres, a dor 
de Jalna Gordiano

Tenório Telles deixa a coordenação editorial da Valer Editora


VIDA, LIVROS E LEITURA

A vida se faz de momentos – e cada etapa da caminhada cumpre o seu ciclo. O que importa em tudo é desempenhar com entusiasmo e verdade as tarefas e responsabilidades que nos cabem na existência.

Cioso do papel que cumpri, nos últimos 15 anos, na coordenação editorial da Valer Editora, ajudando a promover a cultura do livro e o prazer da leitura no Amazonas, venho a público comunicar meu afastamento da função de editor responsável dessa importante casa de livros.

Motivado pelo desejo de contribuir com o processo de construção do conhecimento, dediquei-me ao desafio de popularizar o livro e sensibilizar a sociedade para a importância da leitura na formação das crianças e dos jovens. O resultado desse trabalho foi a publicação de mais de 700 títulos de autores principalmente regionais, além de várias iniciativas concebidas com o mesmo objetivo, como exemplo a Quarta Literária, o Flifloresta, Encontros de Escritores, a criação do Clube Literário do Amazonas – Clam e a idealização de várias coleções de livros publicadas pela Editora Valer.

Neste momento de despedida, não poderia deixar de agradecer à imprensa pelo apoio dado a essas iniciativas, aos escritores que confiaram seus trabalhos à Editora, à equipe de jovens do corpo editorial que tornou possível a realização desse sonho, aos amigos que nos apoiaram no momentos difíceis e, muito especialmente, aos leitores – objetivo de nosso esforço e os grandes responsáveis por termos chegado até aqui.

Assim me despeço – com gratidão e o sentimento de que fiz a minha parte na luta pela construção de uma sociedade de seres humanos esclarecidos e de um mundo mais tolerante e civilizado.

Manaus, 22 de dezembro de 2011.

Tenório Telles

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

LIVROS NA "VIRADA CULTURAL"

 Apesar de não está sendo divulgado juntamente com a programação oficial da Virada Cultural 2011, que ocorrerá nos dias 12 para 13 de novembro (sábado para domingo) em vários palcos espalhados pela cidade, também foi reservado um espaço para os livros. O Sebo O Alienista que participou da primeira edição do evento, agora juntamente com o Sebo Livros e Leitores, a Livraria Valer e a EDUA (editora da Universidade do Amazonas) estarão expondo parte de seus acervos em barracas localizadas na Praça D. Pedro II (Paço Municipal, onde era a sede da antiga prefeitura).
Confiram a programação no link abaixo:
http://viradacultural.manaus.am.gov.br/programacao/

A REVISTA SIRROSE Nº 8 ESTÁ NA RUA

Recebo dos editores Márcio Santana e Marcos Ney a revista (zine) SIRROSE que já está nas ruas, nos botecos, nos becos, nas bocas e etc, inclusive na banca do Sebo O Alienista e aqui no Blog. Nesta edição a Sirrose vem com maior número de páginas, uma diagramação mais arrojada, um polêmico texto do professor José Ribamar Mitoso e outras coisitas mais. A galera está preparando uma orgia para o lançamento, porque segundo os próprios esse negócio de noite de autógrafos é coisa de "baitola da academia amazonense de letras e afins". Comprem e confiram, o antídoto e o veneno...

PANELINHA POÉTICA IV

MÁRCIA (VIEIRA) CAMBEBA
Márcia Cambeba em frente ao Sebo O Alienista


SER CAMBEBA
Márcia Vieira e Celdo Braga 

Sou filha da selva, minha fala é Tupi.
Trago em meu peito
as dores e as alegrias do povo cambeba
e na alma, a força de reafirmar a nossa identidade
que há tempo ficou esquecida, diluída na nossa história.
Hoje revivo e resgato a chama ancestral da nossa memória.

Sou Cambeba e existo sim:
No toque de todos tambores,
na força de todos os arcos,
no sangue derramado que ainda colore a terra
que sempre foi nossa.

Nossa dança guerreira tem começo, mas não tem fim!



CABOCLO RIBEIRINHO

Ao som do banzeiro do rio
As canoas vem, as canos vão.
É o caboclo ribeirinho, que luta pelo seu sustento, pelo seu pão…
Ele rema, joga a sua malhadeira
Esperando pegar um bom pirarucu ou um grande pirabutão
Ao som da melodia dos passáros, que voam em sua  direção
Ele segue o seu caminho
Observando o horizonte, que está além do alcance de sua mão

Ao som do banzeiro do rio
As canoas vem, as canoas vão

Foi a partir de uma gota d’água
que o sopro da vida
gerou  o povo Omágua.
E na dança do tempo
pajés e sacacas
mantêm a palavra
dos espíritos da mata,
refúgio e morada
dos cabeças-chatas.

Que o nosso canto ecoe pelos ares
como um grito de clamor a Tupã,
em ritos sagrados,
em templos erguidos
em todas manhãs.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A 10ª edição da Flip tem data marcada!

O evento está programado para o período de 4 a 8 de julho de 2012. Terá como homenageado o poeta Carlos Drummond de Andrade e conta com a curadoria do jornalista Miguel Conde. O escritor americano Jonathan Franzen, autor dos romances Correções (2001) e Liberdade (2010), já está confirmado.  Franzen, que em agosto do ano passado foi capa da revista Time em reportagem intitulada “O Grande Romancista Americano”, teve seu romance Correções premiado com o National Book Award 2001.
Para comemorar seus 10 anos, a Flip trará muitas novidades. Aguarde

FÓRUM DAS LETRAS DE OURO PRETO 2011

O Fórum das Letras de Ouro Preto é um dos encontros literários mais importantes do Brasil. Em 2011, o evento acontece de 11 a 15 de novembro. Acesse:
www.forumdasletras.ufop.br.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

PAULINHO BOSSA NOVA

Um mês sem a bossa do nosso Paulinho
Conheci o Paulinho há alguns anos luz, lembro-me que fui com o amigo Jaiter Jander a uma roda de violão ali atrás do cemitério São João Batista, na rua Santos Dumont, o local ficava no alto de um morro (hoje plainado) e foi batizado, carinhosamente, de “céu”. Foi a primeira de inúmeras noites regadas a umas biritas ao som de violão, noites orquestradas pelos irmãos José Jorge e Daniel (das codornas), com a parcimônia de seus familiares.
Tempos depois, fui dá uma de poeta mambembe por aí... após minha volta reencontrei com o Paulinho várias vezes tocando nos bares da vida, lembro-me também de uma longínqua  copa do mundo em que fui à sua casa no D.Pedro acompanhado do nosso querido amigo Valberto (Val). Assistimos ao jogo regado a churrasco e cerveja e, depois, um violãozinho, é claro.
Uma vez eu estava no Teatro Gebes Medeiros fazendo umas “lambanças” e vi o Paulinho na platéia, fiquei muito emocionado e o chamei ao palco. Ele como sempre solícito, veio com seu costumeiro sorriso dá uma luxuosa “palhinha”.
Nos víamos de quando em vez, acredito que a última foi no Tacacá na Bossa do qual o Paulinho foi um dos idealizadores. Foi o meu parceiro Einar que após alguns dias, me deu a noticia de sua partida. Foi um choque no meu cambaleante coração, “puta que o pariu!” enquanto os canalhas parecem ser imortais (alguns são), nosso pequeno exército de homens bons sofre baixas irreparáveis. Fiquei muito triste com a perda de meu amigo e como eu não sei rezar, fui encher a cara no meu pequeno santuário particular e não pude conter as lágrimas quando vi, em minha sala, num cantinho, um violão...

Abaixo, trecho de um vídeo em homenagem ao nosso Paulinho apresentado no Tacacá na Bossa:

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

REVISTA AMAZÔNIA

Clique sobre a imagem, para ampliá-la.
























Recebo do editor Evaldo Ferreira e dou a dica:
Já está em circulação a nova revista Amazônia, com 1 ano de sucesso,
adquira a sua:
- Na Galeria Amazônica e na Banca do Largo (no Largo de São Sebastião);
- No Sebo O Alienista (na Praça da Polícia)
Ou solicite através do e-mail:
amazoniaarevistadagente@gmail.com

Tributo a Legião Urbana

Dica do amigo Rayder Coelho:
Clique sobre a imagem, para ampliá-la.

sábado, 24 de setembro de 2011

DO AMOR...

Ao Beto e à Martha, à Martha e ao Beto, dedico.


É inútil querermos explicar o Amor,
compreendê-lo,
Amor... labirinto sem novelo.

Amor a Dois,
Amor à quatro mãos, Amor amigo,
(para quem sabe do que eu estou falando). 
por isso é preciso ter muito cuidado
com os olhos daqueles que não estão amando.

O Amor, repito,
é inútil explicá-lo,
compreendê-lo

Porque o gostoso do Amor
é vivê-lo!

(Celestino Neto)

1ª WORKSHOP DE TÉCNICA VOCAL NO CAUA

RECEBO O CONVITE DO PROF. LOURIVAL E DOU A DICA PARA VOCÊS

1ª WORKSHOP DE TÉCNICA VOCAL NO CAUA
Palestrante: Prof. Carlos Freitas (maestro do Coral do INPA)

Local: Auditório do CAUA, rua Monsenhor Coutinho, nº 724, Centro

Temas: Aparelho Fonador e Aspectos Lingüísticos na Técnica Vocal

30/09/2011 – Aparelho Fonador – de 08:00h às 11:00h
  • Fonação;
  • Mecanismo de Produção da Fala;
  • Aspectos lingüísticos: classificação dos sons da fala;
  • Fricativas;
  • Líquidas laterais;
  • Líquidas não-laterais;
  • Vocativo;
  • Semivogais
14/10/2011 – Aspectos Lingüísticos da Técnica Vocal – de 08:00h às 11:00h
  • Anatomia e Fisiologia da Produção Vocal;
  • A Laringe;
  • A Respiração;
  • Fisiologia da Respiração;
  • A Neurologia: compreensões básicas da neurologia da produção vocal;
  • Noções básicas da avaliação vocal;
  • Qualidade Vocal;
  • Estabilidade;
  • Modulação;
  • Ressonância;
  • Coordenação Pneumofonoarticulatória;
  • Tipos Faciais

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

MOBILIDADE E URBANISMO

MINHA AMIGA LUDIAS DE BH, ENVIOU-ME ESTA POSTAGEM PARA DIVULGAÇÃO, FAÇO AGORA COM UM POUCO DE ATRASO. O LINK DO MOBILIZE BRASIL JÁ ESTÁ NO NOSSO BLOG. PARTICIPEM!!

Ricky: uma lição de vida e de esperança – Beto
Por Beto, 16 de setembro de 2011 10:37

Recebi ontem a mensagem que reproduzo abaixo, enviada pelo meu querido vizinho e amigo Ricky. Nós o vimos crescer junto com as nossas filhas. Ele ainda não completou 30 anos e encontra-se imobilizado em um leito há mais de três anos, acometido de uma doença que vai lentamente fazendo com que haja a perda de movimentos. A mensagem abaixo foi escrita através de um aparelho eletrônico e um programa que lê os movimentos dos olhos.
O Ricky nos dá uma lição de vida e de esperança. Mais do que isso: uma lição de cidadania e de amor ao próximo. De perseverança e luta. Ensina-nos uma grande lição: nunca não desista dos seus sonhos!
“Caros amigos e amigas,
Meu interesse por Mobilidade e Urbanismo ganhou importância quando fui morar em Barcelona para cursar um Mestrado em Sustentabilidade. Fiquei encantado em constatar que a qualidade de vida das pessoas poderia ser infinitamente maior em uma cidade com uma disposição urbana inclusiva, que valoriza os espaços públicos, estimula a convivência social e prioriza os meios de transportes públicos e não motorizados. Depois de usufruir, durante dois anos e meio, deste estilo de vida em uma cidade compacta e acolhedora, despertou em mim um desejo de trabalhar com o tema. Comecei a estudar o assunto e a vislumbrar maneiras para melhorar a qualidade de vida nas cidades brasileiras.
Mobilidade é o grande desafio das cidades contemporâneas, em todas as partes do mundo. A opção pelo automóvel – que parecia ser a resposta eficiente do século 20 às necessidades de circulação – levou à paralisia do trânsito, com desperdício de tempo e combustível, além dos problemas ambientais de poluição atmosférica e de ocupação do espaço público. Mobilidade urbana sustentável envolve a implantação de sistemas de transporte sobre trilhos, como metrôs, trens e bondes modernos (VLTs), ônibus “limpos”, com integração a ciclovias além de demandar calçadas confortáveis, niveladas, sem buracos nem obstáculos.
Apesar das limitações que a doença me impõe, venho trabalhando intensamente na criação de um Portal sobre Mobilidade Urbana Sustentável. Após oito meses de muita pesquisa, muito trabalho e a ajuda de familiares, amigos e profissionais especializados no assunto, o Mobilize Brasil se concretiza e surge como uma ferramenta de informação, reflexão e mobilização para o cidadão.
Vocês são meus convidados para assistirem, via internet, o evento de lançamento do Mobilize Brasil dia 20/09, 3ª. feira, às 10:00 horas no Programa “Urban View” da Alltv, com transmissão simultânea pelo Portal Mobilize. Na ocasião divulgaremos o resultado de um estudo que encomendamos sobre “Como anda a mobilidade nas principais cidades brasileiras”. Os interessados poderão fazer perguntas e comentários para os especialistas, via chat on-line.
Se puderem, divulguem também para suas redes de contatos.
Twitter: @portalmobilize
Abraços e beijos,
Ricky Ribeiro”

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Comentários de e-mails II

 
Como postei no dia 31/05 aqui,(leia postagens mais antigas) o Blog tem tido problemas para postar os comentários, não conseguimos solucionar a bronca, por isso a maioria dos comentários não estão sendo publicados  eu só fico sabendo do conteúdo depois que saem no Blog, portanto, não tenho como censurar ninguém.De quinze em quinze dias,gostaria muito de  postar TODOS os comentários juntos, no mesmo espaço, porém, não os tenho recebido, como publicá-los? caso não veja seu comentário publicado, envie para os nossos e-mails:sebo.oalienista@yahoo.com.br  e livrarialienista@gmail.com.Explico isso porque o blog recebeu um carinhoso comentário de um amigo anônimo que transcrevo:
Anônimo disse... 
Ô lé, um blog antes de tudo é democrático. Deve saber aceitar elogios, sugestões e também...críticas ! se não souber lidar com isso é melhor largar de mão. Esse negócio de só rasgar seda é uma merda. Já que aqui não há espaço pra críticas então aí vai uma sugestão : escreva uma ode ao roubério braga e publique. Talvez ele goste. O espaço aqui se presta a isso. já fui tarde !! 
8 de setembro de 2011 08:59  Postagem "TACACÁ NA BOSSA"
Nota do editor (o papai aqui): no próximo ano, quando esperamos estar menos desfamiliarizados com o troço, colocaremos no ar o blog  PAU DO ÍNDIO, um blog duro de roer (política, cidade, poesia - é claro - e outras danças). O Blog do Alienista ainda com poucas atualizações, serve de suporte para nossa Livraria Sebo e ainda tem pretensão de ser um cantinho para lançamentos de livros, poesias, contos, exposições, charges, cinemas, vídeos e outras mumunhas mais, ou seja, mostrar quem produz, o resto são fogos de artifícios ou como diria Cartola "ainda é cedo amor". 
Celestino Neto (Lé)

As 10 melhores comédias românticas – LuDiasBH

Recebi da amiga Lu Dias de BH, colaboradora do Blog Alma Carioca, a seguinte lista. Confiram e enviem as suas:
 Como vimos no artigo anterior (Gêneros do cinema – LuDiasBH), os filmes são divididos em gêneros e subgêneros, normalmente obedecendo a uma categorização comercial. Há filmes que se encaixam num determinado gênero, outros que podem ser incluídos em dois ou mais gêneros, mas existem outros que são difíceis de enquadrar em qualquer categoria. O gênero comédia divide-se nos subgêneros: comédia romântica, comédia de ação e comédia dramática.
Na comédia romântica, o romance é desenvolvido em meio a situações engraçadas, em que duas pessoas se conhecem, mas, apesar da atração visível que uma nutre pela outra, acabam por não se envolver amorosamente, por alguma razão. Mas, normalmente, depois de enfrentar as muitas dificuldades e os tenazes obstáculos no decorrer do complicado relacionamento, as coisas vão se encaixando e o par central acaba romanticamente unido. Amém!
Norah Ephron, roteirista e diretora de cinema, divide a comédia romântica em duas linhas: a judaica e a cristã. Segundo ela, na comédia cristã, são os obstáculos externos (doença, questão étnica, desavença familiar, etc.) que separam os amantes. Já na comédia judaica, tão bem representada por Woody Allen, o desacerto encontra-se no casal de amantes, normalmente acometidos por neuroses, inseguranças ou medos, que os impedem de concretizar a tão esperada união.
O American Film Institute (AFI) classificou as 10 melhores comédias românticas de todos os tempos. A quais delas você já assistiu?
1ª – Luzes da Cidade/ 1931 (Charles Chaplin)
Sinopse: Uma jovem dançarina pergunta ao senhor de cabelos grisalhos, que salvou sua vida, se ele é Calvero, o grande comediante. “Eu fui,” – responde o cavalheiro. Como um luminoso de néon que aos poucos se apaga, “Luzes da Ribalta” é uma orgulhosa homenagem a uma antiga era de entretenimento, um conto sobre as sucessões de gerações de artistas, a simbólica cerimônia de “passagem do bastão”. Chaplin vive Calvero, o salvador de uma distraída bailarina (Claire Bloom), seu futuro guia ao estrelato. Entre os destaques do filme está uma coreografia musical que cresce ilimitadamente nas mãos de Chaplin e de Buster Keaton. A extraordinária trilha sonora deste filme, assinada pelo próprio Chaplin, por Raymond Rasch e Larry Russell, garantiu ao lendário cineasta seu único Oscar ganho em categorias competitivas.
2ª – Noivo Neurótico, Noiva Nervosa/ 1977 (Woody Allen)O filme conta a estória de “Alvy Singer”, humorista judeu divorciado, que faz análise há quinze anos. Ele acaba se apaixonando por “Annie Hall”, uma cantora em início de carreira, e com uma cabeça um pouco complicada. Em pouco tempo estão morando juntos e não demora a se iniciar um período de crises conjugais.
3ª – Aconteceu Naquela Noite/ 1934 (Frank Capra)
Sinopse: A mimada Ellie Andrews (Colbert) foge de seu pai milionário (Walter Connolly), que quer impeli-la de se casar com um inútil playboy. No caminho para Nova York, Ellie conhece um jornalista desempregado, Peter Warne (Gable). Quando o ônibus em que viajam quebra, os dois briguentos saem para uma amalucada expedição em busca de carona. Peter aposta na possibilidade de transformar sua história numa matéria. Mas os problemas surgem quando a herdeira fugitiva e o impetuoso repórter se apaixonam. Dirigido por Frank Capra, foi o primeiro filme a receber todos os cinco Oscar mais importantes.
4ª – A Princesa e o Plebeu/ 1953 (William Wyler)
 Sinopse: Cansada de sua vida como nobre, a princesa Ann troca seus deveres reais por uma aventura em Roma. Lá, conhece o correspondente americano Joe Bradley que a acompanha em sua estada na cidade fingindo não reconhecê-la. Para Bradley, Ann é nada mais do que uma boa matéria. Mas ele não planejava se apaixonar por ela e viver o romance de sua vida. O filme foi indicado a dez Oscar e Audrey Hepburn levou um deles.
5ª – Núpcias de Escândalo/ 1941 (George Cukor)
Sinopse: Clássica comédia romântica que serviu de fonte de inspiração para o musical ”Alta Sociedade”. Aqui, a história traz Katharine Hepburn como uma jovem rica recém-separada do marido (Cary Grant) e ávida por uma nova relação amorosa. A oportunidade aparece quando ela conhece um repórter (James Stewart) que está caidinho por ela. A história original, escrita por Philip Barry, foi antes encenada com grande sucesso na Broadway (estrelada justamente por Hepburn). Indicado para seis categorias do Oscar, levou as estatuetas de melhor roteiro e ator (James Stewart).
6ª – Harry & Sally – Feitos Um para o Outro/ 1989 (Rob Rainer)Sinopse: Após se formarem pela Universidade de Chigago, Harry Burns (Billy Crystal) e Sally Albright (Meg Ryan) viajam juntos para Nova York. Mas, logo de cara, nasce uma antipatia entre os dois. Com o passar dos anos, cada um leva a sua vida, se vêem esporadicamente, mas aos poucos e de forma um pouco assustadora, eles descobrem que estão se apaixonando.
7ª – A Costela de Adão/ 1949 (George Cukor)Sinopse: Casal de advogados se vê em lados opostos em um caso no qual a ré disparou contra o marido, ao encontrá-lo com a amante. No início, marido e mulher mantêm as discussões durante o julgamento, mas, em virtude da cobertura dada pela imprensa, o casal não expõe suas posições apenas no tribunal e isto gera algumas confusões.
8ª – Feitiço da Lua/ 1987 (Norman Jewison)
sinopse: Uma jovem viúva (Cher) concorda em se casar com um homem mais velho (Danny Aiello), mas quando ela conhece seu futuro cunhado (Nicolas Cage), um temperamental padeiro, termina se apaixonando por ele.
9ª – Ensina-me a Viver/ 1971 (Hal Ashby)Sinopse: Mostra o relacionamento entre um rapaz de 20 anos com obsessão pela morte, que passa seu tempo indo a funerais ou simulando suicídios, e uma senhora de 79 anos encantada com a vida. Eles passam muito tempo juntos e, durante esta convivência, ela expõe a beleza da vida. Ele decide se casar com ela, mas, no entanto, uma surpresa o aguarda, e irá que mudar sua vida para sempre.
10ª – Algo para Recordar/ 1993 (Nora Ephron)
Sinopse: Após a morte de sua esposa, arquiteto Sam Baldwin (Tom Hanks) não acredita que encontrar um amor novo com outra mulher. Jonah, o filho de oito anos, acredita que o pai precisa de uma mulher para reorganizar a sua vida. Ele opta por chamar um programa de rádio nacional, no Dia de Natal, para contar sua história. Milhares de mulheres ouvem-no, e, uma delas é Annie Reed (Meg Ryan), que está prestes a se casar com Walter (Bill Pullman). Annie se torna obcecada com a idéia de que Sam deve saber que é o homem sua vida, antes de se casar com Walter.
Nota: as sinopses são as encontradas nas capas dos DVDs. Pretendo escrever sobre cada filme. O próximo será Harry & Sally – Feitos Um para o Outro.

http://www.almacarioca.net/as-10-melhores-comdias-romnticas-ludiasbh/

POEMA DAS SEGUNDAS-FEIRAS (Celestino Neto)


Segunda-feira haverá luz
não comerei a maçã
vou ganhar o paraíso
segunda-feira eu consigo

Ter um filho
plantar uma árvore
escrever um livro
segunda-feira... deixa comigo

Segunda-feira vou nascer primeiro
que o ovo e a galinha
segunda entro na linha
segunda-feira vou ceiar com a família
compreender os amigos
revelar o ego
segunda... saio do prego

Segunda-feira vou ao cinema
começo o regime
explico o sistema
segunda-feira eu termino este poem...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

"LER É UMA LOUCURA"



A máxima do Sebo O Alienista "Ler é uma loucura", cada dia se incorpora mais ao cotidiano da humanidade.  Curtam essa!

"GAROTAS QUE LEEM NUAS" sacodem Nova York, por Mariano Andrade

Desfrutar os textos de Shakespeare, Oscar Wilde ou Henrik Ibsen lidos por belas mulheres nuas, ouvindo tudo com um copo na mão, num ambiente descontraído: esta é a proposta de "Naked Girls Reading", uma experiência incomum que está sacudindo Nova York, uma vez por mês.
Trinta pessoas - em maioria jovens casais e grupos de homens - aguardam num pequeno salão, com velhas cadeiras clássicas e lâmpadas de luz vermelha no primeiro andar de um bar de Greenwich Village, no centro de Manhattan.
Logo, quatro meninas de roupão e saltos altos sobem num pequeno estrado decorado com um grande divã, ao lado de um microfone. As pessoas aplaudem, entre elas um homem de meia-idade que, até o momento, lia tranquilamente o jornal, ao lado da companheira.
"Bem-vindos! Gostaria de começar apresentando-lhes nossas meninas nuas que lerão esta noite", anuncia Nasty Canasta, uma jovem de cabeleira loura e silhueta fina, artista do gênero neoburlesco, que lidera a trupe.
Em seguida, Gal Friday, Sapphire Jones, Tansy e ela própria tiram os roupões e, como Deus as trouxe ao mundo, começam a ler passagens selecionadas sobre autores famosos e nem tanto, neste espetáculo de "literatura completamente frontal".
"The Importance of Being Earnest", do escritor britânico Oscar Wilde ou "Casa de Bonecas" do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen são alguns livros escolhidos para esta vesperal dedicada ao teatro, durante a qual as quatro moças exibem um verdadeiro talento oratório.
A plateia ri dos diálogos picantes ou muito inteligentes, mas também acompanha em silêncio atento os momentos de emoção, por exemplo, quando Sapphire Jones dedica um texto de Shakespeare à avó, falecida há duas semanas.
"Gosto de narrar histórias e esta é a minha maneira. Sinto-me confortável, nua", conta à AFP Nasty Canasta ao final das leituras, que duram quase duas horas, com um intervalo.
A seu lado, Gal Friday concorda e lembra que ficou "nervosa" a primeira vez que leu nua em público, mas que agora já nem se dá conta disso.
"Quando alguém vem aqui pela primeira vez diz: 'Oh, há uma garota nua!' Mas depois, quando começamos a ler, os olhares sobem", comenta Friday com uma risada. Ela como as outras têm experiência em teatro.
A ideia de "Naked Girls Reading" nasceu em Chicago (norte dos Estados Unidos), em março de 2009, das mãos de Michelle L'Amour, uma conhecida artista americana do gênero neoburlesco.
"Meu marido me encontrou uma vez sentada na cadeira, lendo nua. Digamos que se viu inspirado pela imagem. Começamos a rir e a conversar sobre a criação do evento Naked Girls Reading. E compramos o site na internet", conta L'Amour à AFP.
Michelle entrou logo em contato com Nasty para produzir o espetáculo em Nova York, que teve sua primeira leitura em outubro de 2009. Prepara, agora, um grande evento para celebrar o segundo aniversário.
Atualmente, o espetáculo é produzido em várias cidades americanas e em algumas europeias, como Londres e Copenhague.
"As leituras estão aí para fazer com que as pessoas se excitem com a literatura. Você pode ouvir bela literatura enquanto observa mulheres formosas. É uma combinação perfeita", explica L'Amour.
A escolha das meninas leitoras exige certas características, segundo Nasty Canasta.
"Em maioria é gente que conheço e está disposta.
Para os espectadores, que se despedem das garotas com um grande aplauso, o resultado é convincente.
“Foi maravilhoso. Quando começaram a ler esqueci que estavam nuas", comenta Ellen Snare, uma advogada de 32 anos que assistiu pela primeira vez ao espetáculo.
"A escolha das passagens foi perfeita", conclui, assegurando que vai recomendar os amigos.
(Fonte: Yahoo Notícias 16/ago/2011)

JORGE PALHETA - EXPOSIÇÃO


Jorge Palheta é um autodidata que cedo iniciou-se nas artes onde trabalhou por cinco anos no Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), como desenhista botânico, ilustrando de forma morfológica peixes, aves e insetos. Suas ilustrações cientificas estão presentes em várias Áctas Amazônicas no referido órgão, para defesa de tese de vários pesquisadores, inclusive no exterior.
Atuou como arte-finalista em diversas agências de publicidade em Manaus. No período em que passou no Inpa travou conhecimento com o saudoso professor Samuel Benchimol que o contratou para ilustrar seu livro chamado “Amazônia – um pouco antes e além depois”, colaborando com quase trinta ilustração para o referido livro, inclusive a capa. Também ilustrou outros livros de Samuel Benchimol, bem como de outros autores amazônicos tais como: Marcos Carpenthier, Jorge Tufic e Antísthenes Pinto. No período a Seduc (Secretaria de Educação e Cultura) ilustrou o material de ensino regionalizado (Cartilhas dos Municípios do Amazonas), para alunos de 1ª a 4ª série.
Membro do Clube da Madrugada, movimento literário muito difundido na época, com lançamentos semanais de livros e exposições de artistas plásticos locais, hoje, aos 57 anos atua como artista plástico, produzindo telas no estilo impressionista. (Fonte: Projeto Uakiti)

Data: 01 a 31 de agosto
Horário: a partir das 10h00
Local: Bemol Manauara
Telefone: 3194-3000

domingo, 14 de agosto de 2011

AOS NOSSOS FILHOS - Ivan Lins/Vitor Martins

Van Gogh

Perdoem a cara amarrada,
Perdoem a falta de abraço,
Perdoem a falta de espaço,
Os dias eram assim...

Perdoem por tantos perigos,
Perdoem a falta de abrigo,
Perdoem a falta de amigos,
Os dias eram assim...

Perdoem a falta de folhas,
Perdoem a falta de ar
Perdoem a falta de escolha,
Os dias eram assim...

E quando passarem a limpo,
E quando cortarem os laços,
E quando soltarem os cintos,
Façam a festa por mim...

E quando lavarem a mágoa,
E quando lavarem a alma
E quando lavarem a água,
Lavem os olhos por mim...

Quando brotarem as flores,
Quando crescerem as matas,
Quando colherem os frutos, 
Digam o gosto pra mim...

Digam o gosto pra mim...
http://www.youtube.com/watch?v=jWWOMrrtNfw 

POEMA ENJOADINHO - Vinícius de Moraes


Filhos... Filhos?
Melhor não tê-los!
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Se não os temos
Que de consulta
Quanto silêncio
Como os queremos!
Banho de mar
Diz que é um porrete...
Cônjuge voa
Transpõe o espaço
Engole água
Fica salgada
Se iodifica
Depois, que boa
Que morenaço
Que a esposa fica!
Resultado: filho.
E então começa
A aporrinhação:
Cocô está branco
Cocô está preto
Bebe amoníaco
Comeu botão.
Filhos? Filhos
Melhor não tê-los
Noites de insônia
Cãs prematuras
Prantos convulsos
Meu Deus, salvai-o!
Filhos são o demo
Melhor não tê-los...
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Como saber
Que macieza
Nos seus cabelos
Que cheiro morno
Na sua carne
Que gosto doce
Na sua boca!
Chupam gilete
Bebem xampu
Ateiam fogo
No quarteirão
Porém, que coisa
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os filhos são!


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TACACÁ NA BOSSA


O tacacá da Gisela tá com tudo e não tá prosa! o projeto Tacacá na Bossa que acontece sempre às quartas conquistou um merecido sucesso e pode ser considerado uma das melhores sacadas do cenário musical amazonense dos últimos anos. Ingredientes não lhe faltam: música ao vivo de boa qualidade ao ar livre (Largo de São Sebastião), ou seja, qualquer mortal tem acesso. Como cenário o nosso principal cartão postal, o Teatro Amazonas, com segurança e facilidade no transporte. Tem mais, os devotos podem assistir à missa e depois atravessar a rua e curtir os shows; os boêmios podem ir se distraindo com umas latinhas antes e durante as apresentações e, depois do bate papo, atravessar a rua e tomar umas no Bar do Armando (que ninguém é de ferro!). 
 
PROGRAMAÇÃO DO MÊS DE AGOSTO 
Antonio Pereira se apresentou na quarta-feira passada (03/08/2011)
Hoje (10/08): Márcia Siqueira 19h
17/08: Maca 18h; Célio Cruz e Sergio Souto as 19h
24/08: Lucinha Cabral 19h
31/08: Grupo de Chorinho às 18h; Alzier às19h; Chico da Silva às 20h
 
Tudo isso regado ao premiadíssimo tacacá cujo segredo, os proprietários Joaquim & Rosa, guardam a sete chaves na casa da moeda...
Imperdível!

sábado, 6 de agosto de 2011

Edgar Müller - 3D a olho nu

Edgar Müller (1968, Alemanha) 
Recebi do amigo Luis Costa e divulgo aqui para os leitores do Blog. O cara é simplesmente fantástico e o maior sucesso no You Tube. As imagens sobre a superfície plana parecem saltar aos olhos, uma verdadeira arte ilusionista. Curtam:

BIBLIOTECA DO ALIENISTA I - FARIAS DE CARVALHO


SONETO QUINTO DA INFÂNCIA
"O VASCO DO GUARANY"

Seu Vasco, eu tenho só quinhentos réis,
deixa eu entrar? eu vou pra Galeria...
Ele encuiava as mãos, caíam os níqueis,
e a meninada aos empurrões, subia;

quanto garoto lhe ficou devendo
o sabor, - deliciosas emoções
dos primeiros encontros com os cowboys
tiroteando em cavalos e em vagões!

- A vida, Vasco, é como o teu cinema:
uns têm bilhete inteiro, outros têm meio,
a maior parte, fora, sem bilhete;

e o mais duro, (o mais triste!) é que entre os donos
das platéias imensas deste mundo
existem poucos, muito poucos Vascos!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

LANÇAMENTO NA FEIRA

A Feira de Artesanato da Av. Eduardo Ribeiro estará completando 11 anos neste domingo (31/07/2011), entre os eventos comemorativos o professor e jornalista Sebastião Carril estará lançando o livro "100 erros de português que todo mundo comete, inclusive você". O evento acontecerá entre a rua 24 de Maio e rua Saldanha Marinho, a partir das 10h00, ao lado da Banca O Alienista e dos outros Sebos. É uma boa opção para os concurseiros de plantão, blogueiros e outros. Todos estão convidados.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

NA CORDA BAMBA (Celestino Neto)



e agora, seu Lé?
a festa acabou,
acabou a pasta de dente,
mas tem gilete pra cortar o pulso
não, não
eu prefiro dar uns paus no cachimbo
e arriscar um pau dos guardas
que fardam suas vidas para nos proteger
dá licença que eu vou correr...

e agora, brother?
acabou o xampu
e o patrão me mandou embora
eu mandei ele tomar banho
(ou tomar no cu)
Ora, você pensou que eu não rimaria
mas são tantas porcarias
por que minha porquesia
não pode rimar o que quiser?
salário rima com fome
essa é a lei dos “omi”
e eu aqui dando uma de bom moço
faltando cachorro pro meu osso
faltando dor pra minha cachaça
mas não tem nada não
o poeta vai à praça
no fim do túnel
resta minha luz própria
poeta de bosta
no meio desse sanitário público
mas deixa isso pra lá...

- pernas ao alto!
princesa, isso é um assalto
quero roubar teu coração
que lindo negros olhos azuis você tem
juraria que são verdes
põe ali naquela mesa pra eu degustar
se a ficha acabar
liga pra mim baby
que eu não vou está em casa
saí pra atender teu telefone
mas era um trote
uma voz perguntava-me insistentemente
alô, alô quem fala?
como posso saber-me?
quando abri minha língua
minha boca caiu no chão
vou pegar um jato d’água
pra te encontrar
nesse deserto
que é essa multidão